Home
 
Saúde e Ciências:
 
 
Oito motivos para recorrer a uma academia. (por Emerson Almeida).


  Quando nos referimos a exercícios físicos em academias nos vem a concepção apenas estética da coisa, pois a imagem que temos de academias de musculação e ginástica são daquelas pessoas superiores fisicamente, mais fortes, mais bonitas com corpos sarados, não lembrando ser apenas resultado de uma prática saudável de modalidades esportivas e treinamentos moderados. Portanto, nos vemos inferiores a essas pessoas, quando essa estética veio após um processo de melhoreas internas promovidas pela práticas dessas modalidades. Hoje em dia por conta dos "milagrosos" feitos da tecnologia, o homem tende a gastar menos energias durante suas atividades diárias, com meios de transporte cada vez mais cômodos e acessíveis, com cadeiras e sofás cada vez mais atraentes pelo seu conforto após dias e dias de trabalho. Na mesma proporção que a tecnologia avança, avança também o sedentarismo, e com isso a obesidade, sendo hoje a metade da população adulta (acima de 20 anos de idade) obesa segundo dados do IBGE. Então se tratando de doenças provenientes do acúmulo de gordura corporal, temos uma população na qual sua metade estão predispostas a sofrerem de doenças que chamamos de arteriais coronarianas, as quais estabeleço neste texto como "motivos para recorrer a uma academia".

  
 

      "A doença arterial coronariana ou arteriosclerose coronariana é caracterizada pelo estreitamento dos vasos que suprem o coração em decorrência do espessamento da camada interna da artéria devido ao acúmulo de placas. A irrigação do coração é denominada circulação coronariana. São duas as artérias principais: a coronária direita e a esquerda. É uma doença que se evidenciou, basicamente, após a Revolução Industrial, devido à transformação de uma sociedade de estrutura basicamente rural, condicionada ao trabalho pesado e fisicamente ativa em uma população urbana, acostumada a um maior conforto, porém com alto índice de sedentarismo A cardiopatia coronariana é a doença mais comum na sociedade americana atual. Mais de um milhão de americanos sofrem um Infarto e mais de meio milhão morrem anualmente; no Brasil são cerca de 300 a 350 mil infartos anuais". (BARBANTI, V.J. Dicionário de educação física e esporte. 2. ed. Barueri:Manole, 2003).

 

Projetos Sociais:

 

I Programa Pascoa para todos.

 



 
 
         
   Desde outubro de 2013, iniciamos uma jorna em busca do bem estar físico emocional e social de nossos alunos, contando com um amplo atendimento
 
entre modalidades e espaço físico,temos o intuito da promoção tanto da saúde física quanto da saúde emocional das pessoas, 

hoje esquecidas na sociedade em que vivemos. Sociedade na qual apenas trabalhamos comemos e dormimos, onde o sedentarismo a má alimentação 
e o pouco convívio social perduram nas ultimas décadas. 

     Com a ideia de re-estabelecer o convívio inter-pessoal de sociabilização e entretenimento através das atividades físicas nasceu a Fit Form, 

Academia de Musculação Ginástica Lutas e Dança, oferecendo diversas modalidades além da conscientização alimentar ofertando o convívio social,

 ambiente descontraído e familiar onde as pessoas além se exercitarem fisicamente possam trocar experiência de vida e fazer novas amizades. 
 
Assistir novelas após um dia inteiro de trabalho estressante esta ajudando a prejudicar sua saúde física e emocional. 

Então eu, Emerson Almeida como Academia Fit Form hoje me encontro de portas abertas para ajudar no que for possível a todos que necessitam 
serem saudáveis tanto fisicamente como emocionalmente! 
 
 

 
Os oito motivos para recorrer a um academia: Fatores de Risco.
 
  1. Nivel de Lipídeos elevados.
  2. Fumantes - Os fumantes possuem uma chance 70% maior de desenvolver aterosclerose coronariana que os não fumantes; além disso, indivíduos que fumam 2 ou 3 maços por dia têm risco 2 a 3 vezes maior
  3. Hipertensão
  4. Idade e Sexo - Até os 50 anos de idade, a taxa de mortalidade por doenças cardíacas é várias vezes maior em homens que em mulher; no entanto, após a menopausa, as taxas de doenças cardíacas em mulheres aumentam consideravelmente, de forma a quase alcançar a taxa masculina por volta dos 60 anos, provavelmente devido a algum fator protetor presente nos estrógenos, cujos níveis caem profundamente após a menopausa.
  5. Diabetes - O risco de desenvolvimento de doença coronária é duas vezes maior em homens e três vezes maior em mulheres diabéticas, sendo que a taxa de mortalidade devido à aterosclerose coronariana em mulheres diabéticas parece ser tão grande quanto a taxa para homens não diabéticos da mesma idade.
  6. Hereditariedade - Um histórico familiar de ataque cardíaco, infarto ou morte súbtaprematuros indica uma propensão aumentada de doença coronariana. História familiar de diabetes hipertensão ou hiperlipedemia também aumenta a probabilidade de desenvolvimento de doença aterosclerótica. No entanto deve ser questionado se isso é devido realmente à predisposição genética ou relacionado a hábitos inadequados no estilo de vida familiar.
  7. Obesidade - A obesidade está intimamente ligada a outros fatores de risco, pois eleva a pressão sanguínea os níveis de lipídeos no sangue e o risco de contrair diabetes; além de ser um fator de risco independente, sendo a mais perigosa a obesidade andróide, onde há acúmulo de gordura na região abdominal.
  8. Sedentarismo - Pesquisas realizadas nos Estados Unidos indicam que o sedentarismo dos americanos é tão grande que constitui um fator de risco maior para a cardiopatia coronariana que a combinação de colesterol alto, hipertensão e funo e, sendo que, quanto maior for o nível de atividade física, menor é o risco de desenvolvimento da doença.

       Melhor remédio e mais barato: Atividades Física  

 

        Um programa de reabilitação cardíaca baseada em exercícios físicos é extremamente eficaz em portadores de aterosclerose coronariana no sentido de evitar morte Súbita, Infarto Agudo do Miocárdio e na redução da placa de ateroma.

          O treinamento físico aumenta a capacidade funcional e reduz os sintomas em pacientes coronariopatas, reduzindo a frequência cardíaca submáxima.
 
Referência Bibliográfica:

BARBANTI, V.J. Dicionário de educação física e esporte. 2. ed. Barueri: Manole, 2003.

CARVALHO, T.C. Reabilitação cardíaca em portadores de cardiopatia isquêmica com obstruções coronárias passíveis de tratamento intervencionista. 2001. Tese (Doutorado em medicina) - Faculdade de medicina, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2001.

 
Academia Fit Form no Facebook
 

 
 

 
Parceiros:
 

 
Clinica especializada em Exames de sangue a disposição do aluno, realize o seu check-up.
 

 
Cuide também da sua saúde bucal , confie em especialistas...
 


Estabelecimentos Comerciais parceiros e de referência na prestação de serviços:
 

 

 

 
Faça sua parceria: